terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Por Samantha Culceag - Blog Arquivo Passional

"O Segredo da Caveira de Cristal" é um livro que me chamou a atenção pela proposta: uma fantasia épica com toques de magia (eu não resisto a isso) e dois irmãos como protagonistas (definitivamente amo histórias de irmãos). Na história, o Rei Alphonsus, de Heilland tem filhos gêmeos: Sulco é o "gêmeo ruim", primogênito e herdeiro do trono de Heilland, já o príncipe Heian é gentil e bondoso, diferentemente do irmão.

No dia da coroação do futuro rei, Alphonsus e seus filhos passeiam pelo reino quando por curiosidade param na loja de um mago, que ao olhar em sua bola de cristal, anuncia que Heian será um ótimo rei. Cismado com isso, Alphonsus muda de ideia e coroa Heian ao invés de Sulco. Claro que Sulco fica furioso, e silenciosamente ordena que queimem a casa do mago.

Mongho, filho do falecido mago, se torna o portador da bola de cristal dada a ele pelo pai no dia de sua morte, vira um grande amigo de Heian e vai viver no castelo, onde busca se aperfeiçoar em magia e aprender a controlar os elementos com a ajuda da bola de cristal. Enquanto isso Sulco, louco por poder, também começa a estudar magia e acaba cercando parte do castelo com feitiços, sendo Mongho o único que pode garantir a segurança de Heilland.

Um ponto muito positivo nessa história, é a breve apresentação de todos os reinos que acontece logo no início da leitura. Também conhecemos uma lenda muito importante para a trama.

Além dos personagens já citados, gostei muito da Nadjra, ela é uma feiticeira que se destaca bastante na história, houve uma evolução e segredos revelados sobre ela, a personagem foi bem explorada e fundamental para o livro.

Porém, ao contrário de Nadjra, achei que Sulco (o vilão da história), não foi bem desenvolvido, acontece que ele é "mau" desde que nasceu e embora houvesse uma profecia que dizia que dois irmãos iriam brigar, um deles não precisava necessariamente ter sido sempre mau. Sulco sempre teve tudo o que quis, o trono estava destinado a ele, e no dia da coroação seu pai mudou de ideia, mas senti falta de um motivo para ele ser mau antes de perder o trono.

Inicialmente, achamos que a história inteira irá focar apenas em Heian e Sulco, mas na metade do livro Mongho se torna o protagonista e a narrativa passa a retratar seu ponto de vista. Queria muito que a viagem de Mongho por todos os reinos tivesse sido mais exposta, gostaria de ter visto mais a cultura desses reinos e outras descrições, além das que foram feitas. Poderiam haver grandes desafios/perigos, seria bem mais emocionante. Fiquei sedenta por mais detalhes sobre o universo criado.

O livro apresenta uma página ilustrada com armas e equipamentos de segurança citados na história, o que é bem legal, pois às vezes não sabemos diferenciar duas armas apenas pelo nome. A diagramação é do meu agrado, adorei o brasão de Heilland mostrado no início dos capítulos.

"O Segredo da Caveira de Cristal" tem uma narrativa fluída e fácil, é contagiante, o que torna a leitura rápida. Gostei do novo mundo criado pela autora e fiquei curiosa para conhecer o desfecho dessa história, há uma visão, uma espécie de profecia que ainda não foi realizada e quero muito saber o que acontecerá no próximo volume da série.









Nenhum comentário:

Postar um comentário